Especialistas dão dicas de como organizar uma mudança de residência

Mudanças residenciais ou comerciais podem ser estressantes e cansativas, mas, segundo especialistas, o transporte pode ser feito de forma tranquila se o morador seguir algumas orientações. Em Goiás, transportadoras e profissionais em organização realizam boa parte do serviço para facilitar a vida dos novos moradores. Os profissionais deram dicas para se ter uma mudança tranquila

A profissional em organização Renata Muniz presta serviços de organização de pós-mudança há oito anos em Brasília e  Goiânia. Ela afirma que faz um trabalho de avaliação na casa antiga e de organização da mudança no novo endereço. Segundo ela, o primeiro item que deve ser analisado é o que o morador vai levar para a nova residência e o que não vai precisar ser transportado.

“É feita uma lista de descarte das coisas que não valem a pena serem levadas, pois não serão necessárias na casa nova. Avaliamos roupas, sapatos velhos e rasgados, eletrônicos, eletrodomésticos, produtos vencidos, como de limpeza, remédios, perfumes, tudo é observado. Tudo que estiver vencido, devemos fazer o descarte”, explica.

De acordo com Renata, o novo local deve estar limpo para receber a mudança e as medidas devem ser observadas para que os móveis possam ser dispostos da forma mais organizada. Além disso, ela diz que produtos organizadores adequados podem fazer a diferença no ambiente.

“Para ajudar a organizar é preciso uma metodologia específica, técnicas de dobras, produtos organizadores, como cestas para colocar no banheiro, caixas separadoras, colmeias para colocar calcinhas e sutiãs”, relata.

A profissional em organização explica que, durante a arrumação dos móveis da nova casa, é importante deixar o que será mais utilizado na altura dos olhos e o que não for de uso frequente deve ser disposto nos compartimentos mais altos ou baixos da mobília. “A intenção é que quando o cliente abrir o armário, ele consiga identificar tudo o que tem dentro”, diz.

Maria Santos, de 61 anos, é funcionária de uma transportadora da capital que realiza quase todo o serviço da mudança. Os funcionários empacotam os objetos, desmontam e montam os móveis e deixam a casa pronta para a moradia. Ela diz que a única observação feita é que os clientes reservem o caminhão com pelo menos dois dias de antecedência e guardem os objetos pessoais.

“Há alguns itens que não podem ser levados por transportadora, como jóias, armas, dinheiro em espécie e objetos valiosos. O seguro pode ser feito mas é opcional e o cliente é quem define, mas só pode ser acionado em caso de sinistro”, relata.

Direitos
A gerente de atendimento da Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon-GO) Rosânia Nunes, afirma que, no caso de problemas com os objetos levados pelas transportadoras, como estragos ou furtos, o cliente tem o direito de ser ressarcido ou de ter o abatimento resguardado pela empresa, que deve arcar com os prejuízos mesmo se o cliente não tiver optado pelo seguro.

Em caso de insatisfação com um serviço contratado, Rosânia ressalta ainda que o consumidor tem um prazo de 90 dias para reclamar no Procon-GO. Entretanto, de julho de 2015 até o mesmo período deste ano, apenas sete reclamações foram registradas no Procon-GO.

“É um número pequeno. Não há muitos registros de problemas com transportadoras em Goiás. A maioria das reclamações se referem a essas não restituição dos objetos extraviados e estragados”, relata a especialista.

Especialistas listam dicas que podem facilitar na hora de mudar de endereço:

– Registre tudo. Faça uma lista para organizar os itens da mudança, o que precisa ser feito e defina prazos para realizá-los. Assim você não precisa ficar quebrando a cabeça pensando no que está esquecendo.

– Muitos objetos podem ser desnecessários na nova casa, então aproveite a mudança para se desfazer do que não é mais utilizado. Faça uma lista do que vai e do fica, como roupas e sapatos rasgados ou velhos, brinquedos e objetos que não são mais utilizados.

– Caso a empresa transportadora não faça o serviço de empacotamento, separe caixas de papelão, jornais, plástico bolha, isopor, fitas adesivas e canetas para ajudar no processo.

– Coloque etiquetas ou escreva o que há dentro de cada caixa, para facilitar na hora de levá-la para seu devido cômodo.

– Para ajudar na organização, faça um check-list dos itens que já foram empacotados.

– Roupas que ficam penduradas em cabides podem continuar neles se a transportadora tiver um roupeiro, caso contrário, coloque-as dobradas em caixas. As roupas dobráveis podem ser colocadas dobradas da mesma forma também em uma caixa.

– Limpe a casa nova antes de receber a mudança, inclusive os móveis e seus interiores.

– Faça uma lista de prioridades dos cômodos a serem montados. Dê preferencia para a cozinha, depois, o quarto dos filhos, se os tiverem e os demais cômodos, de acordo com a necessidade dos moradores.

– Lembre-se de avisar sobre a mudança para as empresas de telefonia, TV a cabo, internet, planos de saúde, banco e todos que fornecem serviço ou enviam correspondências ao antigo endereço.

– Não faça compras na semana da mudança, pois a geladeira e o freezer poderão ficar desligados por várias horas e os alimentos podem estragar.

– Faça lanches rápidos para serem consumidos enquanto a nova cozinha estiver sendo montada e deixe-os de fácil acesso. Os alimentos podem ser conservados em caixas ou bolsas térmicas.

– Prepare uma mala com roupas para serem utilizadas durante os dias da mudança.

– É importante verificar as referências da transportadora que irá prestar o serviço, antes de contratar. Verificar como é o relacionamento da empresa nas mídias sociais e se a empresa não está cadastrada em sites de reclamação ou outras empresas reclamadas no Procon Goiás.

– Deve ser elaborado um inventário dos móveis e colher assinatura dos responsáveis, com testemunhas, e exigir cópia do comprovante das negociações, recibos do comprovante de pagamento, data de início, horários das atividades, todos os bens que foram transportados devem estar relacionados e também o estado de conservação deles.

– Verificar se será necessário fixar algum armário, se o prédio é sem elevador e tem que levar os móveis em escada, se o dia da mudança é dia de feira livre. Tudo deve ser descriminado e previamente combinado com o fornecedor.

– Outra dica é dar apenas uma entrada e efetuar o restante do pagamento somente após a execução completa do serviço.

Via: G1

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *